Avisos

1º BEATO QUE ATUOU NA DIOCESE DE VALENÇA

Beato Manuel Formigo Giráldez, religioso espanhol da Ordem de Santo Agostinho, Sacerdote e Mártir.Primeiro pároco da Paróquia de Santa

Teresinha do Menino Jesus , em Parapeúna-RJ.Foi assassinado durante a Guerra Civil Espanhola.

Ele nasceu em Pazos Hermos (Orense) em 13 de novembro de 1894,foram seus pais Juan e Asunción.Ele foi batizado no dia seguinte em que nasceu na igreja paroquial de San Lorenzo, em sua cidade natal. Um tio agostiniano influenciou sua vocação, padre Miguel Giráldez. Ele passou dois anos no noviciado no mosteiro de San Lorenzo de El Escorial, devido a sua falta de idade para professar. Ele professou votos simples em 1910 e solenemente em 01 de janeiro de 1914. Lá ele fez os estudos filosóficos e teológicos. Ele foi forçado a interromper seus estudos durante algum tempo em Madri para prestar serviço militar, que aproveitou a oportunidade para estudar inglês e piano no Conservatório de Madri. Em 1916 ele foi transferido como inspetor de alunos à escola de Guernica, até 9 de setembro de 1918, que lhe atribuiu ao colégio de Alfonso XII de San Lorenzo de El Escorial, onde permaneceu por alguns anos, com a interrupção da estadia no mosteiro para continuar os estudos teológicos. Foi ordenado sacerdote em 9 de agosto de 1925 na basílica do mosteiro. Depois de sua ordenação, ele foi designado para o convento de Leganés e para a casa de Valverde em Madri. Em 1929 ele se ofereceu para trabalhar como missionário no Brasil. A estadia foi curta. De volta à Espanha, ele estava estacionado em Guernica e em Portugalete.

A permanência dele em Portugalete (1930-35) foi um contínuo apostolado na igreja, com as crianças das Escolas, nas cidades vizinhas de Portugal. Santurce, Sestao e Baracaldo e outros.

Em setembro de 1935 ele foi transferido para Málaga. A partir desta data até 18 de julho de 1936, dedicou-se às aulas elementares na escola, para dar exercícios e confessar religiosos, ajudar nas paróquias e pregar em diferentes cidades.

Assaltado o convento na noite de 18 a 19 de julho de 1936, os religiosos dispersaram-se, escondendo-se onde podiam. Padre Formigo foi à casa de um amigo, onde só podia passar um dia, passando o dia 20 de julho em uma pousada na Plaza de la Merced. No mesmo dia, ele apareceu no Colegio del Monte para celebrar a missa. Ele celebrava todos os dias em diferentes lugares, até o dia de sua morte. Depois da missa,saía com seu porta viático para distribuir a Comunhão.Ele foi preso várias vezes e libertado com salvo-conduto, endossado pelo governador. Em 15 de agosto, ele celebrou a missa no sanatório de Gálvez e saiu com seu porta viático para distribuir a comunhão. Provavelmente eles o pararam assim que ele saiu, mas o levaram para a pousada onde ele estava hospedado.Ali, uma freira trinitária o esperava para comungar.Ele não pôde falar com ela. Pouco depois assassinaram-no em algumas demolições na rua de la Victoria em Málaga, em frente à Alcazaba, a poucos metros de seu convento de Santo Agostinho. Ele tinha quarenta e um anos de idade.

Foi beatificado em 2007 pelo Papa Bento XVI

Este grande apóstolo agostiniano não tinha medo e costumava dizer: "Minha confiança está em Deus. E se Ele quer que nós lhe demos muita glória em pouco tempo, que maior felicidade. Depois disso, não me importo com a morte. Ele saberá o que fazer comigo ". 

Fontes: http://dbe.rah.es/biografias/120316/beato-manuel-formigo-giraldez

http://santos.diocesismalaga.es/paginas/fichaformigo.html

http://agustinosmadrid.com/conocernos/provincia-agustiniana-matritense/retratos-de-familia/formigo-giraldez-manuel/